Arquivos mensais: junho 2012

Brasileiro Consome 5 kg de Agrotóxicos por ano

Brasileiro Consome 5 kg de Agrotóxicos por ano

Informações da ANVISA apontam que a venda de agrotóxicos no Brasil teve um aumento de 190% em 2010, na comparação com o ano anterior. Conforme o levantamento, cada brasileiro consome cerca de 5 kg de agrotóxicos por ano. De acordo com a pesquisa, o aumento na comercialização de agrotóxicos se deve ao modelo produtivo adotado nacionalmente, puxado principalmente por uma forte demanda chinesa, que é baseada em uma agricultura químico-dependente.

Por causa disso, desde 2008 o Brasil ocupa o primeiro lugar no consumo de agrotóxicos. O insumo que mais recebe veneno é a soja transgênica, que precisa do glifosato para produzir, em um tipo de ‘venda casada’.

Outros alimentos que recebem altas doses de agrotóxicos são: pimentão morango, pepino, alface, cenoura, beterraba, abacaxi, couve e mamão.

Vale alertar que os procedimentos de lavagem e retirada de cascas e folhas externas, reduz os resíduos de agrotóxicos APENAS nas superfícies dos alimentos.

Os agrotóxicos estão entre as substâncias potencialmente cancerígenas, assim como fumaça do cigarro e do diesel. Como a atividade física promove a maior produção de substâncias anti-inflamatórias, especulá-se que possa ajudar a combater os efeitos nocivos dos agrotóxicos.

Peso Ideal: Estratégias Para Alcança-lo

POR VINICIUS GALVÃO.

peso ideal

Como alcançar e se manter no peso ideal? Segundo a última pesquisa realizada pela Vigitel 2012 aponta que 64% dos brasileiros adultos estão acima do peso ideal, sendo que 48,5% estão com sobrepeso e 15,8% são obesos. Segundo o endocrinologista Aurélio Godoy, “esta geração é a primeira com previsão de viver menos que seus pais, devido às doenças geradas pela obesidade”.

As principais causas da epidemia são:

  •  Sedentarismo;
  • Maior disponibilidade de alimentos mais baratos e a base de carboidratos simples e gordurosos;
  • Privação do sono e o estresse da vida moderna que influenciam os hormônios leptina e grelina ligados à obesidade.

Tudo, porém, está ligado à genética, que determinará se uma pessoa estará acima do peso ideal ou não. Por exemplo, o maior fator determinante da obesidade é a alimentação, mas pessoas sob o mesmo excesso de calorias engordam de forma diferente.

Se estar acima do peso ideal é genético, então como mudar? Existem inúmeras estratégias muito eficientes, algumas dependem de nós, outras não.

Alguns fatores que influenciam estar acima do peso ideal e algumas formas de contornar a situação

1º) Bebês que nasceram via parto cesariano tem mais chances de se tornarem obesos:
Bactérias intestinais atuantes no processo digestivo.

2º) Gestantes que tiveram grande ganho de peso durante a gestação, faz aumentar as chances dos filhos tornarem-se obesos (o ideal é ganhar entre 10 e 15 kg):
Segundo o jornal especializado em medicina “The Lancet”, gestantes que ganharam mais de 22 kg tinham 2 vezes mais riscos de ter um bebê com peso acima do ideal do que aqueles que ganharam 9 kg.

3º) Crianças obesas que perdem peso na adolescência, têm maiores chances de retornar a obesidade na fase adulta:
Multiplicação de células gordurosas e hipertrofia da área do hipotálamo responsável pela sensação de fome.

4º) Sedentarismo:
Dieta aliada aos exercícios tem mais chances de dar certo que, apenas dieta devido a manutenção da massa muscular pelos exercícios e assim do metabolismo.

5º) Alimentação:
É fundamental criar o hábito nas crianças, desde cedo, de se alimentarem de forma mais saudável (frutas, verduras, legumes, grãos, integrais, oleaginosas) o que faz reduzir o impulso de ingerir alimentos hipercalóricos. Lembre-se sempre: O gasto de energia tem que ser superior ao consumo.

6º) Privação do sono:
Segundo o endocrinologista Alfredo Halpern, pessoas que dormem menos de 5 horas por noite tendem estar acima do peso ideal e até se tornar obesas (cita as enfermeiras). No dia seguinte, o metabolismo cai 39% em média.

7º) Não se estressar (tá difícil):
Interferência dos hormônios leptina e grelina, ligados a obesidade. Busque o auto- controle.

8º) Não ficar com fome por muito tempo:
Comer de 3 em 3 horas em pequenas porções com alimentos de baixa caloria e de difícil esvaziamento estomacal. O organismo interpreta a falta de alimento como perigo de vida e para se proteger abaixa o metabolismo, gastando menos calorias para se manter vivo.

9º) Perder peso corretamente;
O ideal é perder meio quilo por semana (para quem está com sobre peso) e 1 kg/ por semana (para obesos), mais que isso perde-se em massa muscular e o metabolismo cai junto com esta perda. 70%¨das calorias são gastas para nos mantermos vivos, de 20 a 25% são gastos com atividade fisica, e o restante é gasto com no processo digestivo.
Dietas da moda (perca de 4 kg/ por semana) só atrapalham um bom plano de re-educação alimentar.

10º) Gênero:
Uma mulher com a mesma altura, peso e idade do homem, gasta em média 300 calorias a menos por dia, devido a menor massa muscular. Pouco? Na semana são 2.100 calorias a menos, no mês, 8400 caloria, no ano… Treine musculação intensamente para manter seu peso ideal.

11º) Evite o efeito sanfona:
A cada vez que você emagrece e volta a engordar, terá maior dificuldade em emagrecer como antes: Quando mais uma vez, se atinge o peso mais elevado você terá cada vez mais gordura corporal e menos massa muscular. Resultado, o metabolismo será menor e a dificuldade de voltar ao peso ideal será cada vez maior.

12º) Injustiça Calórica:
Não pense que fazendo uma hora diária de exercícios e manter tudo o que come, fará você perder peso: Uma hora de exercício gasta-se apenas, em média, 450 calorias, enquanto que em 5 minutos: um acarajé com coca-cola: 750 calorias , um hamburguer com bata-fritas, 800 calorias…

O mais indicado mesmo para ficar no peso ideal é não engordar, é estar sempre no peso ideal. A teoria do set point, citada sempre pelo endocrinologista Alfredo Halpern, mostra que, ao se ganhar peso, o organismo vai se ajustando, vai interpretando este novo peso como sendo o peso ideal, e mesmo em seguida fazendo dieta e voltando ao peso anterior o organismo vai ficar sempre lutando para retornar ao peso mais alto. A avaliação física é o melhor método para avaliar a sua composição corporal e seu peso ideal.

A academia oferece diversas atividades. Experimente todas e faça as que lhe dê mais prazer. Ainda neste semestre estaremos oferecendo aulas de artes marciais e treinamento funcional, ótimas opções para se manter ativo, saudável e no peso ideal. Orientação de uma nutricionista desportiva é fundamental. Não se esqueça disso.