Bandagem elástica terapêutica: O que é? Qual o objetivo?

O que é a bandagem elástica terapêutica? Qual o seu objetivo? Como é sua ação? Quem pode usar? Em quais casos é indicada a bandagem elástica terapêutica? Quem pode aplicar?

2013-11-22 - ESPACO10 - Bandagem Elastica-02
A bandagem elástica terapêutica vem sendo usada com frequência e se popularizando devido aos atletas estarem usando com muita frequência, como base de suporte para se recuperarem mais rapidamente sem parar de treinar.  Se trata de uma fita elástica, hipoalérgica, de várias cores diferentes, que é colocada em algumas partes do corpo com o objetivo de recuperar lesões e aliviar dores, auxiliando na reabilitação física, agindo nas áreas neurológicas, ortopédica e muscular.

Durante o ato esportivo a bandagem é excelente. “A bandagem elástica, dar estímulos constantes e duradouros através dos receptores sensoriais localizados no sistema tegumentar (pele), ajuda na biomecânica, potencializa a ação do músculo com “estímulo excitatório” ou conferi proteção com “estímulos inibitórios” e permite uma maior estabilização articular.

Além da recuperação de lesões musculares e dores, o processo da bandagem elástica terapêutica é também usada para outras indicações. A técnica também pode ser usada para, alterações posturais, artrite, condromalácia patelar, edema (inchaço), entorse, lombalgias, torcicolo, fascite plantar, quadros álgicos (Dor) em: Dedos, mão, punho, cotovelo, ombro, pescoço, coluna, quadril, joelho, canela, tornozelo e pé.

Há algumas precauções no seu uso, por exemplo, em casos de feridas abertas, edemas generalizados, carcinomas, alterações cutâneas e trombose. O correto é procurar um especialista em aplicação, para fazer a avaliação do seu caso e saber se é preciso ou não usar a bandagem. O conselho que dou é que ela seja aplicada por um profissional habilitado na técnica e que conheça as disfunções cinético-funcionais. Vejo algumas pessoas se dizendo aptas a aplicar e aplicando de qualquer jeito, o que pode acarretar alterações de posturas, lesões na pele e alergias além dos resultados indesejados.

Igor Santos. Acadêmico, 8º Sem. FISIOTERAPIA-UFBA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *