Arquivo da categoria: Musculação 10

Sabia que o exercício físico combate Diabetes millitus?

Diabetes millitus DM, é uma doença crônica, DM tipo1, quando o pâncreas não produz o hormônio insulina, devido a destruição das células beta e DM tipo2, tem como caráter principal aumento da glicemia nos níveis normais, por conta da resistência da insulina.

 

São necessários cuidados com o DM para que a doença não possa agravar os órgãos alvos: pâncreas, fígado, coração e rins. Assim se deve administrar medicamentos farmacológicos para o tratamento, evitar as possíveis comorbidades, que são: doenças cardiovasculares, hipertensão, aterosclerose, retinopatias, neuropatia (pé diabético), dentre outras. Outro grande aliado no combate DM é o exercício físico EF.

Muitos estudos têem demonstrado que o EF resulta em melhoras significativas para os portadores de DM, principalmente o DM2, como a redução da glicemia após a realização de exercício, queda da glicemia de jejum, da hemoglobina glicada (HbA1c), bem como melhora da função vascular.

Arsa 2009 apud, Poirier et al. avaliaram, em diabéticos tipo 2, as respostas da glicemia e insulinêmica durante e após realização de EF (1 hora a 60% do VO2pico) nas condições de jejum e alimentado. O efeito do exercício em reduzir a glicemia foi melhor quando os participantes se alimentaram duas horas antes de sua realização. Segundo os autores, a ingestão alimentar antes do exercício fez com que os praticantes realizassem o mesmo com a insulinêmica mais elevada, e que somado ao efeito do exercício em captar glicose por vias independentes à ação da insulina, isto teria contribuíndo para um maior efeito hipoglicemiante pós-prandial em relação à condição jejum.

Portanto, o diabético precisa e deve praticar EF. Porque a pratica regular do EF melhora a sensibilidade da insulina, seja treino musculação ou aeróbio. A fim de que cada tipo de EF tenha seu papel, o aeróbio pelo efeito agudo e amusculação pelos benefícios crônicos como por exemplo: aumento da taxa metabólica basal.

Por, Ademar Bessa, graduado Ed. Física(UNIRB) e especialista em atividade física adaptada e saúde(UGF)

REF. Arsa et. al, artigo. Rev. Bras Cineantropom Desempenho Hum 2009, 11(1):103-111.

Diabetes Mellitus

Diabetes Mellitus

Confira dicas para não ser pego de surpresa pela diabetes!

A Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela redução ou até interrupção completa da produção de insulina pelo nosso corpo (pâncreas). A função da insulina é manter o nível de açúcar do sangue (glicose) em níveis ótimos para saúde. Com o diabetes mellitus, vai haver redução na produção de insulina e como consequência, os níveis de glicose começaram a aumentar. Como a glicose em excesso é tóxica, mantendo-se em níveis elevados (hiperglicemia) por muito tempo, começará a “atacar” os diversos órgãos do sistema, lentamente e assitomaticamente, ou seja, sem o indivíduo perceber. Só na forma mais avançada é que a pessoa vai apresentar sinais e sintomas perceptíveis: perda rápida de peso, lesões oculares, disfunções viscerais, dificuldade na cicatrização de feridas, etc.

Para que a diabetes mellitus, essa doença silenciosa, não nos acometa de surpresa, vai ai algumas dicas importantes:

  1. Realize anualmente exames de sangue para verificar a glicemia;
  2. Mantenha uma alimentação saudável com poucos carboidratos simples (refinados);
  3. Pratique regulamente atividade física, pois o excesso de açúcar no sangue é utilizado como fonte de energia;
  4. Mantenha seu peso corporal próximo ao ideal: a gordura abdominal em excesso é um dos grandes precursores da hiperglicemia;
  5. Procure dormir o suficiente para não precisar do despertador. O sono reparador regenera e substitui as células danificadas, isto evita o surgimento de doenças degenerativas;

Segundo o neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, as coisas mais importantes para se viver muito e com saúde, são (por ordem decrescente):

  • Boa genética, que depende dos nossos pais;
  • Sono completo e reparador;
  • Boa nutrição, incluindo hidratação;
  • Um bom plano de saúde;
  • Evitar o estresse, poluição, pesticidas e drogas.

Bandagem elástica terapêutica: O que é? Qual o objetivo?

O que é a bandagem elástica terapêutica? Qual o seu objetivo? Como é sua ação? Quem pode usar? Em quais casos é indicada a bandagem elástica terapêutica? Quem pode aplicar?

2013-11-22 - ESPACO10 - Bandagem Elastica-02
A bandagem elástica terapêutica vem sendo usada com frequência e se popularizando devido aos atletas estarem usando com muita frequência, como base de suporte para se recuperarem mais rapidamente sem parar de treinar.  Se trata de uma fita elástica, hipoalérgica, de várias cores diferentes, que é colocada em algumas partes do corpo com o objetivo de recuperar lesões e aliviar dores, auxiliando na reabilitação física, agindo nas áreas neurológicas, ortopédica e muscular.

Durante o ato esportivo a bandagem é excelente. “A bandagem elástica, dar estímulos constantes e duradouros através dos receptores sensoriais localizados no sistema tegumentar (pele), ajuda na biomecânica, potencializa a ação do músculo com “estímulo excitatório” ou conferi proteção com “estímulos inibitórios” e permite uma maior estabilização articular.

Além da recuperação de lesões musculares e dores, o processo da bandagem elástica terapêutica é também usada para outras indicações. A técnica também pode ser usada para, alterações posturais, artrite, condromalácia patelar, edema (inchaço), entorse, lombalgias, torcicolo, fascite plantar, quadros álgicos (Dor) em: Dedos, mão, punho, cotovelo, ombro, pescoço, coluna, quadril, joelho, canela, tornozelo e pé.

Há algumas precauções no seu uso, por exemplo, em casos de feridas abertas, edemas generalizados, carcinomas, alterações cutâneas e trombose. O correto é procurar um especialista em aplicação, para fazer a avaliação do seu caso e saber se é preciso ou não usar a bandagem. O conselho que dou é que ela seja aplicada por um profissional habilitado na técnica e que conheça as disfunções cinético-funcionais. Vejo algumas pessoas se dizendo aptas a aplicar e aplicando de qualquer jeito, o que pode acarretar alterações de posturas, lesões na pele e alergias além dos resultados indesejados.

Igor Santos. Acadêmico, 8º Sem. FISIOTERAPIA-UFBA