Atividade física para idosos é a fonte da juventude! Saiba mais…

Treinamento Resistido para Idosos

Conforme a Organização Mundial de Saúde os indivíduos com idade entre 45-59 anos são chamados de “meia-idade”, entre 60-74 anos são os “idosos”, entre 75-90 são os velhos e acima de 90 são chamados muito velhos.

A expectativa de vida está aumentando a cada década, com isso mais idosos estão procurando programas de atividade física para prevenir futuras complicações nos sistemas ósteoarticular,neuromuscular e cardiorespiratório. Um dos treinamento mais utilizados nos últimos anos têm sido o resistido, onde os movimento são feitos com pesos, popularmento conhecido como musculação.

Os exercícios resistidos estimulam a força, potência, resistência,flexibilidade e coordenação. A resistência é aumentada devido ao prolongamento de esforços musculares intensos, a flexibilidade também aumenta porque os limites dos movimentos são solicitados nas amplitudes articulares disponíveis e a coordenação é melhorada pelos exercícios serem amplos e lentos, estimulando terminações nervosas proprioceptores, responsáveis pelo incremento no equilibrio, precisão de movimentos e consciência corporal.

A descarga de peso sobre os ossos faz com que haja maior deposição de cálcio nas áreas onde houve estresse. Isto acontece devido ao efeito piezoelétrico, que provoca um potencial elétrico negativo nas áreas de estresse, responsável pela atividade os osteoblastos, e uma potencial elétrico positivo nas outras áreas,estimulando a atividade osteoclástica.

A síntese de proteínas musculares é acelerada, resultando num incremento no tamanho muscular. Desse modo novas fibras musculares são recrutadas aumento consequentemente a força muscular.Com isso, o treinamento resistido diminui o processo de sarcopenia que é um problema multifatorial caracterizado pela perda de massa muscular com o envelhecimento alem de atenuar o processo de enfraquecimento dos ossos que é chamado de osteopenia.

Pode-se citar também como principais benefícios do treinamento com pesos para idosos: a melhoria da condição em executar as AVD’s (atividade de vida diária) que diz respeito a melhora da funcionalidade, que seria subir escada com qualidade,pentear seu cabelo com qualidade, melhora da estabilidade postural,etc; reduzindo assim, o risco de quedas e das lesões.

É interessante que antes do início de qualquer atividade como essa, principalmente para os idosos, que se procure um cardiologista para fazer uma revisão cardiológica geral, um fisioterapeuta para realizar uma analise mais detalhada do estado cinético funcional atual do idoso e um Professor de Educação Física que será responsável pela orientação e monitoramento das atividades que serão prescritas e executadas.

Romildo Gonçalves Rios
Academia Espaço 10

Musculação durante a gestação: diversos benefícios!

Benefícios do Treinamento Resistido no Período Gestacional

Durante a gravidez ocorrem diversas alterações fisiológicas no corpo da mulher para assim haver uma melhor acomodação e desenvolvimento do feto. Dentre elas, pode-se destacar:

*o aumento na produção de alguns hormônios como, por exemplo, a relaxina (responsável por uma maior flexibilidade nas estruturas musculoesquelética), sendo que este aumento atinge o pico no pré-parto;

*aumento do percentual de gordura;

*com a evolução da gravidez o centro de gravidade é progetado para frente, desenvolvendo assim uma hiperlordose;

* a musculatura do reto abdominal tende a sofrer um mecanismo chamado de diástase, que se resume numa separação deste músculo em até 2,5cm;

*o volume sanguíneo aumenta em torno de 40%, resultando assim em um aumento dos batimentos cardíacos de 10 a 15 por minuto.

Com isso é de se considerar que todos esses fenômenos têm relação com o treinamento resistido (musculação), pois esta prática irá minimizar essas alterações fisiológicas citadas a cima. Em relação ao inicio do treinamento, a gestante que não estiver nenhuma contra indicação, pode começar as atividades a partir do terceiro mês, com a autorização do médico, pois nos meses anteriores a incidência de aborto é maior. Pesquisas demonstraram que a participação regular de grávidas em um programa de exercícios físicos pode melhorar o condicionamento fisiológico das mães, restringir o ganho de peso sem comprometer o desenvolvimento do feto e ainda facilitar a recuperação pós-parto (Artal, Clapp e Vigil, 2000).

Outro benefício que a musculação irá proporcionar segundo Matsudo e Matsudo (2000) é o fortalecimento muscular à grávida, deixando-a mais hábil para tolerar o seu peso corporal, realizar as atividades do dia-dia, melhorar a postura e evitar uma das principais queixas da gravidez: a lombalgia. Outros benefícios biológicos que podem ser destacados são:

Benefícios biológicos
• Maior nível de independência funcional
• Menor duração na fase ativa do parto
• Menor ganho de massa corporal e adiposidade materna
• Diminuição de complicações obstétricas
• Melhoria da capacidade física
• Diminuição da incidência de cesárea
• Menor tempo de hospitalização

Menor risco de parto prematuro

 

 

 

 

 

 

Além dos benefícios citados acima, existem também os psicossociais, que são:

Benefícios psicossociais
Melhoria da auto-imagem
• Melhoria da auto-estima
• Melhoria da sensação de bem estar
• Diminuição da sensação de isolamento social
• Diminuição da ansiedade
• Diminuição do estresse
• Diminuição do risco de depressão

 

 
Devido a esses e outros fatores, o treinamento resistido é uma ótima opção para as grávidas que não possuem contra-indicações, sendo que a orientação de um Professor de Educação Física é fundamental para a prática de um programa de exercícios seguro e que atenda as necessidades da mãe. Pensando nisso, a Academia Espaço 10 disponibiliza profissionais capacitados para oferecer um suporte avançado no que diz respeito à vida saudável da gestante e do bebê.

 

Rubens Menezes

Graduando em Educação Física (FSBA)

Musculação na adolescência: ajuda ou prejudica?

 

No Brasil, as atividades esportivas são as mais praticadas entre os jovens. Entre os meninos o interesse predominante é o futebol e entre as meninas o voleibol e dança, normalmente dentro do quadro de atividades das aulas de Educação Física da escola.

Fora do ambiente escolar, a caminhada, corrida, musculação e aulas de ginástica localizada são as atividades físicas mais procuradas entre os jovens de hoje. O interesse dos adolescentes pela musculação tem se manifestado cada vez mais cedo, pois alimenta os sonhos de tornar corpos magros em corpos sarados, deixando os pais e profissionais da área muito preocupados. Porém a maioria dos pais ainda são resistentes a permitir a pratica da musculação pelos seus filhos, e em alguns casos, autorizam-os a praticar lutas (Taekwondo, Karatê, Judô e Muay thai) que também tem crescido bastante na preferencia dos jovens.

Entre as duvidas mais frequentes dos pais é o crescimento dos filhos, e se a pratica da musculação é recomendado, e de que forma pode ser praticada. Fato é que a musculação pode sim ser praticada na adolescência desde que bem supervisionada principalmente com a quantidade de peso usada.

“Na realidade, a musculação sob supervisão profissional é a atividade física que menos provoca lesões (quem pratica sabe), pois os pesos são adaptados a cada individuo, não existem riscos de queda, trauma direto, mudanças bruscas de direção, os movimentos são lentos e rítmicos, etc. Sabemos que são os traumas nas epífises de crescimento (muito comuns nos esportes coletivos e artes marciais) os responsáveis pela alteração do crescimento ósseo. Portanto a musculação além de não provocar lesões nesta área, previne-as, pois tornam o sistema musculo esquelético muito mais resistente e forte”, explica Vinicius Galvão, coordenador técnico e fisioterapeuta da Espaço 10 Academia

A musculação na adolescência é dos determinantes de um estilo de vida ativo na idade adulta, e principalmente ela evita o sedentarismo, melhora a resistência muscular, a flexibilidade e as habilidades motoras.  Além desses benefícios podemos notar também:

– Aumento da força muscular, protegendo melhor as articulações e com isto evitando lesões;
– Aumento da resistência muscular;
– Melhoria da coordenação muscular;
– Melhor controle postural;
– Aumento da densidade óssea;
– Aumento do condicionamento físico;
– Aumento das reservas de energia do corpo;
– Melhor distribuição entre massa muscular e massa gordurosa.