FREE PASS (Experimente a academia por três dias sem pagar nada)

Os idosos e a musculação
Durante os últimos 10 anos ficou provado que os idosos podem se beneficiar com a participação em programa de treinamento de força.


De fato, fitarone e colaboradores (1990) demonstraram que até mesmo indivíduos com idade acima de 90 anos podem conseguir ganhos em força durante um período de treinamento de 8 semanas, esta descoberta despertou muita atenção, aumentos na força e capacidade funcional (por exemplo, mobilidade aumentada) podem melhorar a qualidade de vida até mesmo de indivíduos com doenças crônicas.

A força é um fator importante para as capacidades funcionais, a fraqueza dos músculos pode avançar até que uma pessoa idosa não possa realizar as atividades comuns da vida diária, tais como tarefas domésticas, levantar-se de uma cadeira, varrer o chão ou jogar o lixo fora, a redução da capacidade funcional pode resultar em internação em asilos. É importante manter a força conforme se envelhece, porque ela é vital para a saúde, a capacidade funcional e a vida independente.

Sob condições normais, o desempenho da força apresenta seu pico entre as idades de 20 a 30 anos, após ele permanece relativamente estável ou diminui ligeiramente durante os 20 anos seguintes (hakinen, kalinen e komi, 1994) parece que perdas de força muscular são mais dramáticas após os 70 anos.

Além da perda da força muscular, a habilidade do músculo para exercer força rapidamente (desenvolvimento de potência) parece diminuir com a idade. Essa habilidade é vital e pode servir como uma mecanismo protetor na queda, como já foi citado, as quedas em idosos são uma das causas mais importantes de lesões, podem levar a morte e representam um grande problema de saúde pública.

A prescrição de exercícios físicos para os idosos deve ser vista com muito cuidado e atenção, pois muitas vezes, acompanhando o avanço da idade, doenças crônico-degenerativas também acabam surgindo ou se agravando, o que torna a prática de atividade física mais delicada. Recomenda-se uma avaliação médica criteriosa, a prescrição dos exercícios deve ser feita com base em alguns cuidados, principalmente bom senso.

Vejamos agora a importância e os efeitos da prática de exercícios físicos para idosos.

  • Aumento de massa muscular;
  • Aumento da força muscular;
  • Diminuição da incidência de quedas;
  • Aumento da resistência aeróbica;
  • Melhora e normalização da pressão arterial de repouso;
  • Diminuição da resistência a insulina, melhora do controle da glicemia;
  • Diminuição da gordura corporal;
  • Aumento da taxa metabólica basal;
  • Diminuição da perda da massa óssea;
  • Diminuição das dores;
  • Aumento das funções em indivíduos com artrite reumatoide e ostedartrite;
  • Melhora nas atividades do dia-a-dia;
  • Melhora da qualidade de vida (independência físico-social).

Como podemos observar, se orientados e acompanhados com segurança, os idosos terão na prática da atividade física regular um grande aliado na melhora da sua qualidade de vida.

Gustavo Suzart
comments powered by Disqus




Clique e leia a matéria.
Aulão Fit Dance

Dica do Mestre: Utilização das borrachas nos membros inferiores


VERÃO batendo na porta e... QUAL O SEU OBJETIVO com a Academia?



Banner Free Pass ×