FREE PASS (Experimente a academia por três dias sem pagar nada)

Reeducação Alimentar
Com o passar dos anos, o excesso de atividades a que as pessoas se submetem diariamente vem obrigando-as a buscar alternativas alimentares que lhes poupem tempo.


Encurtar o tempo de preparo dos alimentos e obter praticidade tornaram-se praticamente “regras” de alimentação da vida moderna. As pessoas passaram a escolher os alimentos, não pelo que eles podem proporcionar à sua saúde, mas pelo tempo que levam para ficar prontos e serem consumidos.

Essa mudança levou a uma redução significativa do consumo de alimentos naturais, frutas e vegetais e um expressivo aumento do consumo de industrializados.

Antevendo essa excelente “oportunidade comercial”, a indústria de alimentos desenvolveu, e continua desenvolvendo uma grande diversidade de produtos que atendem aos padrões de sabor e praticidade, contendo embalagens cheias de atrativos visuais, mas que carregam em sua composição uma série de aditivos químicos e compostos nocivos à saúde.

As estatísticas mostram que, acompanhando as mudanças do padrão alimentar do brasileiro, aumentaram-se os índices de obesidade, câncer, doenças endócrino-metabólicas como o diabetes e o hipotiroidismo, e cardiovasculares – como o infarto cardíaco e o derrame cerebral, todas diretamente relacionados a uma alimentação desequilibrada. Essas doenças tem acometido pessoas muito jovens, até mesmo a partir dos 20 anos de idade.

O ponto crítico deste problema é que muitos dos produtos industrializados disponíveis no mercado são ricos em carboidratos de alto índice glicêmico, gorduras saturadas, gorduras trans, nitratos, nitritos, teor de sódio elevado entre outros aditivos químicos nocivos à saúde do consumidor. E este, que muitas vezes não sabe interpretar todos aqueles termos químicos presentes nos rótulos, permanecem ingerindo diariamente substâncias que futuramente poderão lhe causar uma doença crônica.

O excesso de peso e a obesidade – também conseqüência de uma alimentação inadequada, hoje já são considerados problema de saúde pública no Brasil. Em busca da recuperação do peso ideal, as pessoas se submetem a dietas radicais, desequilibradas, com restrição maciça de alguns macro e micronutrientes, que até levam a uma perda de peso rápida, mas inevitavelmente o peso é recuperado posteriormente. As dietas da moda raramente se preocupam com a combinação adequada dos alimentos, ou as conseqüências para o metabolismo de quem as consome. E a perda seguida de ganho de peso por diversas vezes – o chamado “efeito sanfona”, leva a uma redução do metabolismo basal do indivíduo, criando uma resistência cada vez maior do corpo para perder peso. E a perda de peso conseguida com uma dieta desequilibrada nem sempre é sinônimo de redução dos depósitos de gordura corporal. Pode ocorrer uma depleção muscular, o que leva a redução do peso, mas aparecem também sintomas de desnutrição, como cansaço crônico, fraqueza muscular, despigmentação e queda de cabelo, unhas quebradiças, etc.

Frente a esta realidade, nutricionistas e médicos cada vez mais defendem a implementação da Reeducação Alimentar, como forma efetiva e definitiva de atingir o peso ideal e manter-se dentro do peso adequado, gozando das melhores condições de saúde.

Está mais do que provado que uma alimentação equilibrada é capaz de promover a manutenção de um peso adequado, reduz o risco de doenças crônicas, torna o organismo mais resistente a infecções, levando a uma maior disposição no desenvolvimento das atividades do dia-a-dia.

E para obter uma alimentação equilibrada é necessário que as pessoas conheçam a composição dos alimentos, a combinação adequada entre eles e as necessidades do seu próprio organismo. Este processo de aprendizado individual se chama Reeducação Alimentar.

A Reeducação Alimentar é desenvolvida por nutricionistas, num processo contínuo de contato com o indivíduo. Inicialmente o padrão alimentar do paciente é avaliado, bem como o seu estado nutricional e os seus indicadores bioquímicos.

A partir da necessidade de cada pessoa, serão fornecidas orientações para mudança gradual dos seus hábitos alimentares, ajudando o paciente a conhecer cada vez mais a composição dos alimentos que consome e a forma correta de combiná-los. O acompanhamento inicialmente é mensal, passando a trimestral, semestral, e finalmente anual.

Com o tempo, o indivíduo transforma seus hábitos alimentares de maneira natural e gradual, sendo considerado um método definitivo, pois uma pessoa que aprende a forma correta de se alimentar, dificilmente desequilibrará sua dieta a ponto de ficar obeso ou aumentar o risco de desenvolver uma doença relacionada a má-alimentação.

A Reeducação Alimentar contribui para a manutenção do peso ideal, regularização do ritmo intestinal (evita a obstipação do intestino), melhora do aspecto da pele e cabelos, ajuda a normalizar a pressão arterial e os níveis de colesterol, triglicerídeos e glicemia sanguíneos. Eleva a imunidade e reduz a ocorrência de câncer, esteatose hepática, cálculos renais (pedras nos rins), resistência a insulina, entre outras doenças.

Enfim, uma alimentação saudável é o primeiro passo para prolongar a sua vida com qualidade. Para uma alimentação e vida saudáveis, consulte um nutricionista.

Rita de Cássia Carvalho
comments powered by Disqus




Clique e leia a matéria.
Aulão Fit Dance

Dica do Mestre: Utilização das borrachas nos membros inferiores


VERÃO batendo na porta e... QUAL O SEU OBJETIVO com a Academia?



Banner Free Pass ×