FREE PASS (Experimente a academia por três dias sem pagar nada)

Yuca é nossa entrevistada
Yuca Libanio, japonesa nascida na cidade de Nagoya, tem uma paixão que é o samba.


Dançarina e modelo fotográfico, divide o ano com atividades em sua terra natal, no Rio de Janeiro e na Bahia. Quando está em Salvador, malha diariamente na Espaço 10. Conversamos com Yuca no intervalo de suas atividades na Academia. Confira:

Como é que você veio parar em Salvador ? Conte-nos um pouco da sua trajetória ...

Yuka - Eu conheci o samba em 1996. Gostei muito e fiquei curiosa de conhecer o Rio e a Bahia. Vim para cá, gostei e resolvi ficar. (Yuca conheceu o ritmo através do grupo Gerasamba e das escolas de samba do Rio de Janeiro).

E a escolha entre o Rio de Janeiro e a Bahia ?

Yuka - Todos me falavam que o Rio era muito perigoso e por isso optei pela Bahia.

De qualquer forma você também tem atividades no Rio ...

Yuka - Sim, desfilo em escolas de samba. Em 2004 desfilei na Salgueiro, Grande Rio, Mocidade e a Campeã, a Beija-Flor. Ano passado, também desfilei na Rosas de Ouro, em São Paulo. Em Salvador, já sai no Bloco Apaxes.

E a diferença entre o Carnaval daqui e do Rio, os ritmos ... ?

Yuka - O ritmo daqui é variado ... Lá é só escola de samba, a gente ensaia muito, dois a três meses. Quando entramos na avenida é diferente, estamos concorrendo. Aqui é mais festa mesmo.

O desfile serve como cartão de visitas para o seu trabalho ...

Yuka - Sim, a partir daí surgem convites para grandes festas, grupos de samba, grupos de forró. Recebi convites de algumas bandas de forró e estou escolhendo ... Neste momento estou ensaiando com a Banda Lua Cheia.

Você começou com o samba ... E o forró ?

Yuka - Danço o que chamam de forró estilizado. Não é o forró tradicional. É mais chegado ao balé, ao jazz ...

Há quanto tempo você malha na Espaço 10 ?

Yuka - Já tem mais de dois anos. Viajo muito, mas sempre que estou em Salvador, venho para a Academia.

Como a Academia tem contribuído para o seu desempenho profissional ?

Yuka - Manter a minha forma, praticar a dança, ensaiar coreografias ... Uma coisa muito positiva também é que quando sinto alguma dor, consulto Vinícius, que entende muito do corpo e sempre tem uma solução (Vinícius Galvão, coordenador técnico da Espaço 10 é fisioterapeuta).

Como você divide seu tempo na Espaço 10 ?

Yuka - Faço boxe terças e quintas, e dancing nos demais dias. Ensaio dança das 13 às 16 horas e depois malho uma hora.

E a galera por aqui ... ? A receptividade .. ?

Yuka - Brinco muito com as pessoas que trabalham aqui, com os colegas também. A receptividade foi ótima, tanto que já estou dois anos aqui.

E suas atividades no Japão ?

Yuka - Na minha cidade, Nagoya, participo de uma escola de samba. Como não tem ninguém para ensinar, eu sou a professora do ritmo (No Nagoya Grampus, equipe de futebol de Nagoya, atua o jogador baiano Uéslei, ex-Vitória e Bahia, que é amigo de Yuca).

O seu trabalho é divulgado lá em Nagoya ?

Yuka - Sim, tenho um "nomezinho" lá em Nagoya. Fui capa de uma revista e já fui entrevistada por alguns jornais.

E aqui no Brasil, o fã-clube ?

Yuka - Não chega ser fã clube .... Uma coisa muito linda prá contar é que vou à cidade de São Francisco do Conde, interior da Bahia, todo ano para shows. Lá, tem um monte de crianças que me adora, nem me deixam andar na rua. Fico muito feliz com o carinho que elas me passam.

Como você divide atividades em três locais diferentes ?

Yuka - De julho a dezembro, fico no Japão. Em janeiro, vou direto para o Rio, onde ensaio nas escolas de samba. Em março, venho para a Bahia e já começo os ensaios com o forró.

E o povo brasileiro. É parecido com o japonês ?

Yuka - Que nada (risos) ... Não vou falar que o povo brasileiro é melhor, nem que o japonês, são diferentes, culturas diferentes. Lá, todo mundo é fechado. Olha bastante, analisa bastante, antes de fazer amizade. Aqui, começa logo com muita intensidade a amizade e depois vai se cortando ...

Sua família ... Como vê sua profissão, suas viagens ?

Yuka - Tenho pai, mãe, uma avó, uma irmã que mora no Egito. Sai de casa com 15 anos de idade, estudei, trabalhei e dancei (risos) ... Sempre quis ser independente, ninguém dá palpite. Nunca quis ficar como algumas pessoas ficam por aqui, com os pais dando mesada ... Uma coisa boa que meus pais me ensinaram foi saber enfrentar a vida.

Mais alguém da família ligada à dança ?

Yuka - Uma avó, mãe do meu pai, que eu não conheci, era dançarina.

E a diferença de costumes, Japão ... Brasil ?

Yuka - Radical né ? Na alimentação ... adoro acarajé, moqueca de peixe ... A moqueca eu sei fazer, levo os ingredientes e também faço no Japão. Gosto muito de sushi ... um bom sushi, como se faz no Japão, eu sinto falta (risos ...). O acarajé também faz falta, quando estou por lá.

Conta um pouco do seu site e das suas lojas ...

Yuka - Tenho duas lojas de artigos da Bahia no Pelourinho. Se chamam "Djembe Arte Bahia". Uma fica em frente à antiga Escola de Medicina, outra no térreo do Hotel Pelourinho.

Quem quiser conhecer meu site, o endereço é www.yukasambista.com . Meus contatos telefônicos são (71) 9195-1773, 322-9187 e 9915-5650.

E o futuro ?

Yuka - Enquanto o meu corpo "durar", quero estar dançando. Depois volto ao Japão para ensinar.

Uma mensagem para a turma que acessa o site ...

Yuka - Se você quer alguma coisa, confie em você mesmo, corra atrás, que você consegue.

Entrevistador
comments powered by Disqus




Clique e leia a matéria.
Aulão Fit Dance

Dica do Mestre: Utilização das borrachas nos membros inferiores


VERÃO batendo na porta e... QUAL O SEU OBJETIVO com a Academia?



Banner Free Pass ×